tigrinhos A Polícia Federal apreendeu documentos na manhã desta quarta-feira (29) e ouviu 11 testemunhas em investigação sobre um possível desvio de recursos recebidos após um vendaval ocorrido em 2009 em Tigrinhos, no Oeste do estado. As apurações apontam para a criação de uma empresa fantasma, segundo o delegado da PF Sandro Lins Bernardi.
Os documentos foram apreendidos em cumprimento a dois mandados de prisão, um em Tigrinhos e outro em Bom Jesus do Oeste, cidade vizinha.
No município de origem da investigação, o mandado foi cumprido em prédios da administração pública. Já em Bom Jesus do Oeste, em uma empresa que tem o mesmo endereço e documentos daquela que seria fantasma.
“Estamos investigando o desvio de recursos públicos após o vendaval ocorrido em 2009. O Ministério da Integração Nacional enviou verba para diversos municípios de Santa Catarina e identificamos uma empresa fantasma de pessoa ligada à administração municipal [de Tigrinhos]”, afirmou o delegado.
De acordo com Bernardi, essa empresa teria sido criada para “vencer a dispensa de licitação e desviar valores”. O delegado quer concluir a investigação até a primeira quinzena de julho.
No mínimo, quatro pessoas ligadas à administração pública de Tigrinhos, inclusive servidores que atuam até hoje, teriam participado do esquema, conforme o delegado. 


G1/SC